Scout Report: Estreia de Trubisky, problemas de Big Ben, Panthers impressionando e muito mais!

A Scout Report é uma coluna em que eu analiso as partidas da rodada. Minha intenção é compartilhar com você minhas impressões do jogo, algumas observações táticas e técnicas que faço de cada confronto.

Infelizmente não posso passar 24 horas por dia assistindo futebol americano, então não dá para trazer todas as partidas de uma vez. Então vamos às partidas que consegui ver até essa terça-feira:

Carolina Panthers 27 vs. 24 Detroit Lions

 Pessoalmente não foi um bom domingo de futebol americano para mim, que tive que cobrir Jets vs. Browns e Chargers vs. Giants. Que refrescante foi ver na segunda-feira de manhã Panthers vs. Lions, um jogo muito bem jogado, dois ótimos ataques aéreos, defesas bem montadas. Definitivamente tirou o gosto ruim.

 Haloti Ngata jogou apenas 16 snaps antes deixar o jogo com uma lesão no segundo quarto, mas parecia o DT dos velhos tempos de Baltimore Ravens. Uma pena se for um problema grave, porque Ngata foi imprescindível contra o jogo terrestre dos Panthers no pouco tempo que esteve em campo.

 Darius Slay Jr. vinha tendo uma ótima temporada, mas sofreu uma recaída neste domingo. O CB permitiu dois dos três passes para TD de Cam Newton e em geral sofreu contra o tamanho dos Wide Receivers dos Panthers.

 Devin Funchess é outro jogador em relação ao ano passado. Ele enfim aprendeu a usar o tamanho a seu favor e não dá chance para os CBs menores. Os times adversários estão tendo muitas dificuldades contra o porte físico dele e de Kelvin Benjamin, o que compensa a falta de capacidade deles de conquistar jardas após a recepção.

 Luke Kuechly é o melhor linebacker da NFL contra o passe, não há dúvidas quanto a isso, mas ele não jogou bem nesse domingo. Kuechly teve muitas dificuldades contra Theo Reddick, que vai muito bem recebendo passes vindo do backfield.

 O Front Seven do Carolina Panthers é o melhor da temporada até agora. Matthew Stafford foi sackado seis vezes e os Lions só conquistaram 50 jardas terrestres. Kawann Short joga como a superestrela que ele é, Julius Peppers parece que tem 27 e não 37 anos, Shaq Thompson continua melhorando e Thomas Davis parece que vai jogar para sempre.

 

Minnesota Vikings 20 vs. 17 Chicago Bears

 Já sabíamos que não seria uma estreia fácil para Mitch Trubisky, contra a forte defesa do Minnesota Vikings, mas em geral achei que ele se comportou muito bem. Assim como previ na semana passada, vimos o QB em movimento constantemente, passando a bola saindo em bootleg. Ele teve um problema similar ao de Mike Glennon: ineficácia do corpo de wide receivers. Os recebedores precisam ajudar um quarterback jovem como Trubisky e definitivamente não foi o que aconteceu no Monday Night Football. Tanto o passe para TD quanto a interceptação foram os dois maiores erros dele, foram passes forçados que no primeiro o novato deu sorte e no segundo não.

 Sam Bradford começou tão bem a temporada, em um universo paralelo ele é a grande história de 2017 e não Alex Smith. Por isso dá para entender a vontade dele de voltar ao campo o mais rápido possível, mas claramente estava longe de 100% e ao que todo indica reagravou a lesão no joelho.

 O ataque do Minnesota Vikings perdeu MUITO sem Dalvin Cook. O rookie é melhor que Jerry MacKinnon e a enganação Latavius Murray juntos. Não se deixe levar pelos números de MacKinnon: ele tem velocidade e tem a capacidade de conseguir aproveitar uma falha da defesa para uma corrida longa, mas na maior parte do jogo o seu impacto não é muito grande.

 Se houvesse um prêmio de jogador que mais evoluiu de um ano para o outro, como existe na NBA, Leonard Floyd seria um dos candidatos. Ele terminou bem sua temporada de rookie em 2016 e deu um grande salto em 2017. Floyd já vinha muito bem nesse começo de temporada regular e teve uma ótima atuação contra os Vikings, o que vai ajudar o seu nome a crescer já que foi no horário nobre.

 Danny Trevathan fez muita falta, não só o seu talento como linebacker mas também sua voz ativa na comunicação entre os defensores.

 

 

Los Angeles Chargers 27 vs. 22 New York Giants

 27 x 22, com possibilidade de virada no final, foi um jogão certo? ERRADO. Foi uma péssima partida, nível técnico baixíssimo. Esses dois times estão nessa situação porque são ruins e no domingo foi exemplo disso.

 O torcedor dos Giants queria ver um time mais equilibrado, mas era com o ataque melhorando e não a defesa piorando. Sem Olivier Vernon, NY teve muitas dificuldades e foi a pior atuação nesse lado da bola em 2017.

 Eli Manning não era sackado há dois jogos e os Deuses do Futebol Americano cobraram a conta no domingo. Os cobradores foram Melvin Ingram e Joey Bosa, com dois sacks cada. Se tem dois jogadores no elenco dos Chargers que não tem culpa na situação da equipe, são Ingram e Bosa que formam a melhor dupla de pass rushers da NFL.

 Os Giants poderiam ter vencido esse jogo não fossem as lesões de QUATRO Wide Receivers da equipe. As saídas de Marshall e Shepard logo no segundo quarto atrapalharam o ataque que vinha tendo uma atuação surpreendentemente equilibrada, com o jogo terrestre. Eli Manning não é a mesma tragédia grega das primeiras rodadas mas ainda está longe de ajudar o time, muito pelo contrário. O QB sofreu o fumble que permitiu a virada aos Chargers.

 

Jacksonville Jaguars 30 vs. 9 Pittsburgh Steelers

 Temos uma nova melhor dupla de cornerbacks e é a do Jacksonville Jaguars. Jalen Ramsey e AJ Bouye melhoram rodada após rodada e tiveram uma partida fenomenal contra os Steelers. Muitas das jardas de Antonio Brown foram em Garbage Time então isso não apaga o bom jogo dos dois CBs. Lembra quando falei no nosso Top 5 CBs na offseason sobre Ramsey? O Safety Barry Church e o nickel Aaron Colvin também jogaram muito bem contra os Steelers.

 Ben Roethlisberger é o maior problema desse time. O quarterback vem tendo uma péssima temporada e teve uma das piores atuações da carreira contra o Jacksonville Jaguars. Big Ben sempre dependeu muito de sua habilidade atlética e ele não parece ter a mesma força para escapar da pressão e encontrar alvos no fundo do campo. Sua precisão em bolas de mais de 10 jardas caiu ao ponto de ser basicamente uma loteria se vai conseguir acertar o seu recebedor ou não.

 Leonard Fournette não tem os números de Kareem Hunt, mas talvez esteja jogando ainda melhor. As defesas adversárias sabem que ele vai correr com a bola, que é a única arma desse ataque, e o rookie produz mesmo assim. Mesmo sem a corrida de 90 jardas no final da partida, quem viu o jogo sabe da importância dele.


.
.
.
Depois de um domingo de muito futebol americano, a melhor forma de se informar sobre TUDO que aconteceu é no Podcast FA Hoje! Nossa equipe analisou TODAS as partidas da rodada, então escute agora o melhor programa brasileiro sobre NFL!

iTunes (iPhone, iPad, iPod)

Stitcher (Android e outros sistemas operacionais)

Novidade: Deezer

Soundcloud

4shared

Comments

comments