Scout Report: Brady brilha, defesa dos Jaguars domina e muito mais!

A Scout Report é uma coluna em que eu analiso as partidas da rodada. Minha intenção é compartilhar com você minhas impressões do jogo, algumas observações táticas e técnicas que faço de cada confronto.

Infelizmente não posso passar 24 horas por dia assistindo futebol americano, então não dá para trazer todas as partidas de uma vez. Então vamos às partidas que consegui ver até essa terça-feira:

 

Atlanta Falcons 36 vs. 33 Detroit Lions

 E pensar todo o tempo que perdemos discutindo sobre possível queda de rendimento do ataque do Atlanta Falcons. É impressionante a facilidade como esse time consegue primeiras decidas e o mais incrível é que se trata de um dos ataque que menos chega em terceiras descidas. Os Falcons são o time com o quarto menor número de third downs e isso é porque eles conseguem jogadas de dez ou mais jardas com muita tranquilidade nas duas primeiras descidas. Contra o Detroit Lions não foi diferente e isso impressiona muito.

 Das três interceptações, só uma foi culpa de Matt Ryan, a primeira que acabou sendo a Pick Six. Foi uma boa jogada do safety Glover Quin, é verdade, mas não foi um bom passe. As outras duas foram passes desviados que acabaram na mão do CB Darius Slay.

 Matthew Stafford está jogando melhor em 2017 do que no ano passado. Os números não foram espetaculares contra os Falcons, mas foi uma atuação muito boa. Ele está justificando cada centavo, e foram muitos, que os Lions pagaram na sua renovação. Stafford precisa de um pouco mais de consistência dos seus WRs, mas a OL teve uma boa atuação o protegendo, o que é uma surpresa já que o LT Taylor Decker continua fora.

 

Baltimore Ravens 7 vs. 44 Jacksonville Jaguars

 A defesa do Jacksonville Jaguars é incrível. O grupo terminou muito bem o ano passado e mostra sinais de evolução em 2017. Contra o Baltimore Ravens tudo funcionou. AJ Bouye e Jalen Ramsey vão melhorando a cada rodada e já se colocam na discussão de melhor dupla de CBs da temporada, Calais Campbell joga como candidato ao Defensive Player of The Year e Dante Fowler Jr. enfim justifica a terceira escolha geral que os Jaguars usaram nele em 2015, com mais uma atuação muito boa contra Baltimore.

 Estou gostando muito da forma como o Jacksonville Jaguars está usando Myles Jack. Ele era um dos meus jogadores favoritos do penúltimo Draft, mas acabou caindo por causa de um problema no joelho. A sua primeira temporada foi apagada, mas em 2017 começou muito bem. Algo que achei bem interessante foi como os Jaguars o utilizam. Vamos ver como é em downs base (1ª e 2ª descidas normais)

Segunda descida para cinco jardas, Myles Jack se alinha como SAM, ou seja, Strong Side Linebacker, responsável por marcar o lado forte do ataque do adversário, normalmente onde o Tight End se alinha.

Na jogada seguinte, uma terceira descida e clara situação de passe, o Middle Linebacker titular dos Jaguars, Paul Posluszny, deixa o campo e quem faz esse papel é Myles Jack. Jack é um dos LBs mais rápidos da NFL e já é excelente contra o passe, por isso essa opção da comissão técnica. E funciona!

 Blake Bortles jogou bem, mas não foi uma atuação transcendental em que ele recebeu o espírito de Johnny Unitas como os quatro passes para TD podem sugerir. Tudo funcionou perfeitamente ao seu redor e ele não teve nenhum dificuldade ao longo dos três quartos que esteve em campo, simplesmente aproveitou as oportunidades que foram apresentadas. Ok, isso já se qualifica como a melhor atuação dele em anos, mas não podemos nos deixar levar.

 Brandon Williams e Marshal Yanda são os dois melhores jogadores do Baltimore Ravens e o maior exemplo disso foi nesse domingo, em que ambos ficaram de fora. O péssimo ataque dos Ravens desmoronou sem o Guard, enquanto do outro lado a defesa não conseguiu fazer nada sem Williams aterrorizando o inteiro da linha ofensiva adversária. Ainda assim foi um jogo atípico e a defesa deve voltar a jogar bem com o DT em campo.

 

Houston Texans 33 vs. 36 New England Patriots

 O New England Patriots tem um grande ponto fraco até agora em sua linha ofensiva, Nate Solder. O Left Tackle começou muito mal o ano e teve talvez sua pior atuação da temporada nesse domingo contra o Houston Texans. Na maior parte dos snaps ele deve a ingrata tarefa de bloquear Jadeveon Clowney e foi muito mal. Os Patriots o ajudaram com os RBs contribuindo no bloqueio e em alguns momentos colocando TEs no local.

 Se você é torcedor do New England Patriots, deve ficar preocupado com a defesa. A linha defensiva da equipe foi dominada pela fraca OL do Houston Texans. A capacidade de correr com a bola de Deshaun Watson muda muito a abordagem nesse setor, mas mesmo assim a atuação foi bem fraca em geral.

 Os Patriots quase perderam duas vezes no último drive, primeiro em um fumble que a equipe conseguiu recuperar e uma interceptação dropada pelo safety Corey Moore. Todo bom time precisa ter sorte também.

 Deshaun Watson jogou muito bem. A primeira interceptação foi um passe muito ruim, mas a segunda não foi sua culpa. A mobilidade dele dá uma dimensão a mais para o ataque e já foi uma partida muito melhor do que na estreia dele como titular contra os Bengals.

 Eu não ia escrever, mas não posso deixar passar: Tom Brady é espetacular. Comandou uma virada histórica que seria marcante na carreira da maioria dos quarterbacks, mas para o camisa 12 dos Patriots é apenas mais um dia normal. Grande atuação de Brady, muito pressionado ao longo do jogo e mesmo assim muito eficiente nos passes longos.

 

Cleveland Browns 28 vs. 31 Indianapolis Colts

 T.Y. Hilton falou sobre precisar jogar melhor na semana passada e fez exatamente isso. O Wide Receiver foi com sobras o melhor jogador dos Colts na vitória contra os Browns.

 Parte dessa produção do WR dos Colts se dá pela péssima atuação da secundária do Cleveland Browns. Tudo bem que são poucos CBs que conseguem parar T.Y. Hilton, mas o recebedor deitou e rolou. Se pelo menos Cleveland tivesse um CB experiente com histórico de atuar em alto nível na NFL, ajudaria muito… Peppers está jogando muito bem como retornador, mas tem muitas dificuldades como safety ainda (como era de se esperar).

 A Linha Ofensiva dos Colts, alvo de muitas críticas na Era Andrew Luck, teve uma boa atuação. Não foi perfeita, mas em geral Jacoby Brissett teve tempo para passar a bola. No jogo terrestre o desempenho não tão bom assim, mas tirando a média foi um jogo positivo para o grupo que ainda está sem o center Ryan Kelly.

 A ausência de Jamie Collins foi sentida. O ex-Patriots seria o linebacker com a capacidade de parar Jacoby Brissett quando o QB dos Colts resolvesse correr com a bola, por conta da sua velocidade. Sem ele, os Browns não fizeram um bom trabalho e deixaram Brissett correr para dois TDs

 Ótimo jogo de DeShone Kizer, sem dúvida o melhor da carreira dele. Ele está se livrando da bola mais rápido e foi muito bem conectando com Duke Johnson para passes curtos que o RB transformou em bons avanços. A precisão dele ainda oscila ao longo da partida, mas foi uma atuação muito encorajadora do rookie.

 

Pittsburgh Steelers 17 vs. 23 Chicago Bears (Prorrogação)

 A tentação é querer falar do que deu errado para o Pittsburgh Steelers, mas antes vou dar o respeito que o Chicago Bears merece. A equipe foi superior e sem sombras de dúvida mereceu a vitória. O cenário foi muito parecido com o da semana 1 contra os Falcons, mas dessa vez o triunfo veio.

 Jordan Howard e Tarik Cohen formam a melhor dupla de running backs da NFL. Os dois, somados a uma linha ofensiva que começou o ano muito bem, são a grande força desse ataque. Correção, única força. Os Bears não tem ataque aéreo. Mike Glennon não é um bom quarterback, todo mundo sabe disso, mas o corpo de Wide Receivers é abismal, ninguém consegue ajudar o QB.

 Créditos também para a defesa do Chicago Bears. O front seven está jogando muito bem, mas a grande surpresa fica pela secundária. Prince Amukamara, considerado Bust em Nova York, teve uma boa partida e cedeu apenas uma recepção, mas infelizmente pra ele foi o TD de Antonio Brown. De resto, um ótimo jogo.

 O ataque do Pittsburgh Steelers tem problemas. Martavis Bryant, Le’Veon Bell e Ben Roethlisberger mais uma vez não jogaram bem e coube a Antonio Brown carregar o time nesse lado da bola. Aliás, Brown é com alguma folga o melhor Wide Receiver da NFL na temporada até agora, jogando em um nível absurdamente alto.

 A ausência de T.J. Watt foi sentida. Sem o rookie, os Steelers não conseguiram pressionar Mike Glennon. Eu esperava James Harrison mais tempo em campo com o desfalque de Watt, mas o veterano só ficou três snaps em campo, isso após ter jogado quatro na semana 1 e nenhum na semana 2. Será que a comissão técnica está preservando-o ou a idade enfim está pesando?

 

Dallas Cowboys 28 vs. 17 Arizona Cardinals

 Os números não são espetaculares, mas foi um ótimo jogo de Dak Prescott. Foi uma partida difícil e nas horas mais importantes Prescott apareceu, exatamente o que um franchise QB precisa fazer. O jogo estava muito complicado para os Cowboys até que o segundoanista conseguiu o TD correndo com a bola, mostrando não ter medo ao se jogar na endzone.

 Ano após anos achamos que o Dallas Cowboys não vai conseguir parar os ataques adversários e a defesa da equipe nos prova o contrário. Mesmo ficando a maior parte do tempo em campo, o grupo teve uma boa atuação, pressionando Carson Palmer o tempo todo. A secundária ainda tem problemas, cedendo muitas jardas no ar.

 Tem como não amar o Larry Fitzgerald? Nessa altura da carreira o WR não tem mais velocidade para ser um playmaker, mas com os problemas no ataque da equipe ele tenta fazer tudo, até passe longo recebeu no MNF! E se olharmos por exemplo o passe para TD, no terceiro quarto, ele conseguiu separação na experiência e na sua habilidade de correr rotas.

 A Linha Ofensiva dos Cardinals não é a mesma atrocidade do ano passado, mas ainda joga muito mal. O DE DeMarcus Lawrence fez o que quis a noite toda contra Jared Veldheer, que era o Left Tackle e agora joga do lado direito. No jogo terrestre o grupo é pior ainda.

 Muita gente não assistiu aos dois primeiros jogos do Arizona Cardinals, viu as stats e definiu que a narrativa era que Carson Palmer estava acabado, a idade chegou, hora de aposentar. Quem se deu o trabalho de ver os jogos, no entanto, sabe que isso não é verdade e ele provou isso no Monday Night Football com mais uma boa atuação. O problema é que esse ataque dos Cardinals não tem ninguém que possa criar. A única opção confiável é Larry Fitzgerald e ele ainda é ótimo para mover as correntes, mas não é alguém que você possa confiar para esticar o campo. David Johnson faz muita falta. Linha ofensiva ruim, jogo terrestre inexistente, WRs limitados e era o Palmer o culpado por estar velho né? É cada uma que a gente escuta…

 Muito se fala da NFL ser melhor quando o Dallas Cowboys é relevante, não sei. Uma coisa é certa: a Liga é mais divertida quando o Dez Bryant está jogando bem. Não foi uma grande atuação nesta segunda-feira, mas tivemos um vislumbre o no TD dele. Qual outro WR conseguiria entrar na endzone naquele lance? A resposta é provavelmente nenhum.

 

 

Podcast FA Hoje como sempre saindo na frente com um programa com a análise de TODAS as partidas da Semana 3, destacando a grande vitória dos Eagles no clássico contra os Giants, o atropelo dos Jaguars para cima dos Ravens e tudo que rolou de mais importante nesse domingo, escute agora!

iTunes (iPhone, iPad, iPod)

Stitcher (Android e outros sistemas operacionais)

Novidade: Deezer

Soundcloud

4shared

Comments

comments