Rodada em Foco – Semana 12

Bem vindos à Rodada em Foco, a mais nova coluna do FA Hoje!

Nela você vai poder conferir o que de mais importante rolou em todas as partidas do domingo e também as observações da nossa equipe!

Além de ler a Rodada em Foco, escute o Podcast FA Hoje para ficar por dentro de tudo que rolou em todas as partidas!

Buffalo Bills 16 vs. 10 Kansas City Chiefs

 Mais um jogo péssimo do ataque dos Chiefs, PÉSSIMO. Lembra o ataque mais explosivo da NFL no primeiro mês da temporada? Parece que todas aquelas jogadas foram tiradas e o que sobrou foi basicamente o playbook de 2015 e 2016, com Alex Smith raramente procurando um recebedor além da linha de scrimmage.

 Foi um erro Tyrod Taylor ter perdido a titularidade na última rodada, todo mundo sabia antes, durante e depois. Isso não quer dizer que Taylor não tenha grandes limitações. O QB teve uma partida apenas OK, sem grandes erros mas também sem conseguir fazer o ataque ao seu redor funcionar de forma consistente.

 Os Bills vinham sangrando jardas pelo chão nas últimas rodadas e mesmo assim Kareem Hunt tem mais um jogo apagado, com 17 jardas terrestres em 11 carregadas. O rookie certamente é talentoso, não há dúvidas quanto a isso, mas as defesas não sentem mais medo do ataque aéreo dos Chiefs e colocam um jogador extra perto da linha de scrimmage, tirando qualquer espaço para Hunt.

 Tre’Davious White ficou um pouco esquecido com o crescimento do Marshon Lattimore nos Saints, mas o rookie dos Bills vem fazendo uma temporada espetacular. White será um dos melhores CBs da NFL por muito tempo e brilhou ao fazer a interceptação que selou a vitória para Buffalo.

Gabriel Martins

Carolina Panthers 35 vs. 27 New York Jets

 O grande problema de Cam Newton como jogador é que sua precisão nos passes oscila muito. O quarterback passa períodos longos errando seus alvos por muito, em qualquer distância. Com 10 minutos para o fim do jogo ele havia acertado apenas 10 de 25 passes e Christian McCaffrey foi o principal prejudicado porque muitas das bolas erradas o encontrariam com espaço. Claro que a lesão no dedão sofrida durante a semana não ajudou Cam, mas mesmo saudável ele passa por períodos assim.

 As stats de Christian McCaffrey não dizem nada o que foi a atuação dele. O running back novamente foi muito bem no ataque aéreo e poderia ter produzido duas ou três vezes mais não fosse a péssima tarde de Cam Newton, que o errou várias vezes quando CMC estava livre. Pelo chão, no entanto, foi mais um jogo ruim. Não fosse uma corrida de 40 jardas, os números de McCaffrey pelo chão seriam anêmicos mais uma vez.

 Luke Kuechly é fantástico. Quando o jogo estava muito difícil para os Panthers ele conseguiu recuperar um fumble e retorná-lo para TD, mas mesmo sem os seis pontos o impacto do linebacker foi enorme na partida. Por que não estamos falando dele na disputa pelo DPOY?

 Roby Anderson é um excelente Wide Receiver. Já são cinco jogos seguidos marcando TDs, graças a enorme explosão que ele tem, tanto jogando aberto quanto partindo do slot. Contra os Panthers foram 146 jardas e 2 TDs.

Gabriel Martins

Tampa Bay Buccaneers 20 vs. 34 Atlanta Falcons

Parece que o Atlanta Falcons está voltando aos bons tempos da temporada passada. Contando com belíssimas atuações de Matt Ryan, Julio Jones e Tevin Coleman a equipe conseguiu sua terceira vitória consecutiva e de quebra afundou ainda mais um rival de divisão.

Uma tarde histórica para Julio Jones. O WR teve incríveis 253 jardas 2 TDs. Matt Ryan também foi muito bem com 317 jardas, 1 passe para TD e 26 de 35 passes completados. Mesmo sem Devonta Freeman, Tevin Coleman tem dado conta do recado e vem sendo muito importante correndo com a bola e recebendo passes, e contra os Bucs o RB finalizou com 2 TDs terrestres e mais 97 jardas. Teve até passe para TD de 51 jardas do WR Mohamed Sanu para Julio Jones, o que mostra que o ataque dos Falcons de 2016 parece ter voltado agora na reta final da temporada regular 2017.

A temporada de 2017 acabou para os Bucs. Mesmo quando Jameis Winston estava em campo, a equipe não correspondeu as expectativas e agora deve se reformular para o próximo ano. Com Ryan Fitzpatrick o ataque não funciona, Mike Evans fica muito sobrecarregado e o jogo terrestre tem muitas dificuldades para desenvolver. O HC Dirk Koetter terá de repensar muito a montagem do time para 2018.

Frederico Maritan

Cleveland Browns 16 vs. 30 Cincinnati Bengals

Com mais uma boa atuação de Andy Dalton e do calouro Joe Mixon, o Cincinnati Bengals derrotou o Cleveland Browns e se colocou firme na disputa por uma das vagas do wild card da AFC.

Andy Dalton teve mais uma atuação segura, mostrando precisão nos passes e quando necessário corria bem com a bola para conseguir first downs. O QB terminou com 2 TDs, 214 jardas, 18 de 28 passes e correu para mais 26 jardas. O RB calouro Joe Mixon vai aumentando sua participação no ataque a cada rodada e contra os Browns foi o grande nome ofensivo da equipe, com 114 jardas terrestres e mais 1 TD, além de receber 51 jardas aéreas, mostrando que foi uma ótima seleção para os Bengals no draft deste ano.

A defesa dos Bengals também fez sua parte, mesmo cedendo muitas jardas terrestres e aéreas aos Browns. Mas em compensação forçou vários field goals e somente concedeu um TD a Deshone Kizer.

Vai ser complicado os Browns vencerem uma partida em 2017. A tabela da equipe não é das mais fáceis e o time não consegue ter uma atuação linear por uma partida. Deshone Kizer até se esforça, consegue bons passes e boas corridas, mas o time não ajuda em quase nada. A situação do head coach Hue Jackson e de todo front office de Cleveland vai ficando cada vez mais insustentável e muito possivelmente a equipe terá mais uma vez profundas mudanças para 2018.

Frederico Maritan

Miami Dolphins 17 vs. 35 New England Patriots

Está difícil fazer frente ao New England Patriots neste momento na AFC. A equipe conseguiu mais uma dominante vitória e fica cada vez mais próxima de mais um título da AFC East e possivelmente deve garantir uma folga na primeira rodada dos playoffs.

Rob Gronkowski, Brandin Cooks, Danny Amendola, Martellus Bennett, Rex Burkhead, Dion Lewis, James White e muito mais. O arsenal disponível para Tom Brady comandar seu ataque parece não ter fim e a cada rodada vai ficando melhor. Boa sorte aos adversários que terão a complicada missão de neutralizar um dos melhores ataques da liga.

Mesmo sem ter um grande destaque individual, a defesa dos Patriots vem melhorando a cada rodada. O setor cede poucos pontos, tem Trey Flower muito bem na linha defensiva, Kyle Van Noy e Elandon Roberts muito precisos nos tackles e conseguindo sacks e na secundária Stephon Gilmore vem melhorando seu rendimento a cada semana. A defesa dos Patriots está numa fase tão boa que desde a semana 5 cedeu para seus adversários no máximo 17 pontos por partida.

Matt Moore não consegue ser efetivo no ataque dos Dolphins. Mesmo com um bom corpo de recebedores à disposição o QB não consegue desenvolver seu ataque. A troca de Jay Ajayi por enquanto se mostra equivocada e o jogo terrestre sente bastante falta do RB. A defesa do time também sofreu contra os inúmeros alvos de Tom Brady. O HC Adam Gase terá bastante trabalho para melhorar o desempenho de todo time nas próximas rodadas.

Frederico Maritan

Chicago Bears 3 vs. 31 Philadelphia Eagles

 O ataque de Chicago funciona com base no jogo terrestre. A defesa dos Eagles limitou as 14 corridas da equipe para apenas 6 jardas. Dessa forma, Mitch Trubisky ficou muito pressionado em passar a bola e as duas interceptações vieram dessa insistência.

Zach Ertz foi o primeiro recebedor de Philadelphia a passar das 100 jardas na temporada. Ele foi o alvo preferido de Carson Wentz, sendo acionado por 12 vezes e marcando um belo touchdown.

Todos os 8 first downs conseguidos por Chicago, ocorreram no segundo tempo. A equipe tentou 5 vezes, mas não foi efetivo em nenhuma vez no primeiro tempo.

 A defesa dos Bears ficou quase 2/3 do jogo em campo. Mesmo exausta fez um trabalho bom forçando turnovers, mas sofreu com o poder de fogo adversário, principalmente na redzone.

 Cairo Santos perdeu seu primeiro FG tentado com a camisa dos Bears. Porém, o atleta se redimiu no segundo tempo, acertando um chute de 38 jardas.

Mais uma vez Carson Wentz foi letal. Não cedeu nenhum turnover e liderou o ataque com maestria. Porém, em alguns momentos os Eagles forçaram passes desnecessários, quando poderiam mover o ataque via jogo terrestre.

A vitória dos Eagles foi mais uma exibição de gala em todos os setores. A defesa pressionou bastante a OL adversária e anulou a principal força ofensiva: Jordan Howard e suas corridas. Essa foi a chave da partida e facilitou muito a vida de Wentz, que não teve problemas de enfrentar a promissora defesa dos Bears.

Marco Tulio Bayma

Tennessee Titans 20 vs. 16 Indianapolis Colts

 Rashaan Melvin é o principal jogador da secundária dos Colts em 2017. É fundamental que o time renova com o atleta para manter a qualidade no setor. O cornerback está no quinto ano na liga e nunca jogou como nessa temporada. Os quarterbacks raramente lançam em sua direção, e quando o fazem, Melvin consegue algumas picks.

 Marcus Mariota não vive seu melhor momento na temporada e nem na carreira. Inconsistente, o quarterback não passou segurança durante toda a partida, como deveria. Os maus momentos foram compensados por uma grande atuação na hora decisiva, mas muito do mérito deve ir para o running back Derrick Henry.

 Falando em Henry, o segundanista foi novamente mais efetivo que DeMarco Murray, correndo em momentos decisivos na campanha da vitória. Outro destaque positivo no ataque foi Corey Davis, que aos poucos se enturma com o signal caller dos Titans.

 Na defesa, os Titans mais uma vez se viram boquiabertos com a qualidade de Kevin Byard. O free safety é a cada dia um destaque maior em Nashville. A melhora dessa secundária e dessa defesa é muito por conta dos grandes jogos que o segundanista fez nos últimos jogos.

José Paulo Mendes

Denver Broncos 14 vs. 21 Oakland Raiders

  Paxton Lynch entrou numa situação que nenhum quarterback jovem deveria. Para tentar ser a salvação da temporada dos Broncos. Obviamente o resultado não foi dos melhores. A lesão só veio para confirmar essa como uma das piores noites da carreira do jovem jogador.

  Os Raiders também não fizeram nada de extraordinário no ataque. Marshawn Lynch saiu como principal destaque, mesmo sem uma grande atuação. A saída de Crabtree prejudicou muito Derek Carr, que também não conseguiu ser efetivo.

  O lance mais marcante da partida infelizmente fica por conta de um lance que terminou na expulsão de Aqib Talib e Michael Crabtree. Uma das brigas mais tensas dos últimos anos na NFL.

José Paulo Mendes

Seattle Seahawks 24 vs. 13 San Francisco 49ers

 O placar é enganador, os Seahawks foram bastante superiores. A pressão sobre Russell Wilson foi menor que nos últimos jogos e ele só teve que jogar, não precisou fazer milagres como nas últimas partidas. Ainda assim, precisou correr com a bola em alguns momentos.

 O jogo corrido foi vacilante outra vez, sem ter consistência, os Seahawks tiveram alguns problemas para administrar o relógio, mas nada extraordinário, o time conseguiu ser seguro o suficiente para vencer os 49ers. Contra outros times será preciso mais.

 Marquise Goodwin tem um papel claro para o time dos 49ers a longo prazo. Ser o wide receiver ágil e veloz. Mas na falta de outros jogadores mais talentosos, vem se tornando o principal wide receiver da equipe e não vem indo mal.

 Jimmy Garoppolo jogou seus primeiros snaps pela nova equipe. Em pouquíssimo tempo conseguiu conduzir um touchdown, mesmo quem em garbage time. As cenas dos próximos capítulos devem ser interessantes e pressão sobre C.J. Beathard agora será das grandes.

José Paulo Mendes

Los Angeles Rams 26 vs. 20 New Orleans Saints

 O matchup era ótimo para o ataque dos Saints: Rams cedia muitas jardas terrestres, e a dupla Ingram-Kamara foi o terror das últimas rodadas. Porém, o pass-rush limitou a dupla a poucas jardas (exceto o TD longo de Kamara). Destaque para Cameron Jordan, a alma do front-seven.

Jared Goff foi instruído a explorar a desfalcada secundária adversária. Passou das 350 jardas aéreas e a ameaça Todd Gurley confundiu a defesa dos Saints. A única interceptação lançada foi culpa de Sammy Watkins, que deu um tapa na bola para dentro de campo.

Cooper Kupp fez um belo jogo. Porém, sua inconsistência, típica de calouro, impede uma boa sequência de jogos, o que poderia melhorar sua confiança. Nessa partida recebeu bolas que demandaram muito talento e atleticismo. Com isso, Goff confiou no recebedor e lançou 12 bolas em sua direção.

Drew Brees foi obrigado a forçar passes e deu conta do recado. Em alguns momentos foi pressionado pela forte DL adversária e apressado no pocket.

Marco Tulio Bayma

Los Angeles Rams 26 vs. 20 New Orleans Saints

 Blaine Gabbert iniciou a partida com uma estratégia que deu bastante certo: investiu em passes curtos e corridas. Assim, evitou enfrentar a forte secundária adversária e conseguiu bons resultados contra uma defesa bem postada.

 Karlos Dansby forçou um fumble e o retornou para TD no segundo quarto de jogo. Porém, a arbitragem parou o jogo no momento do fumble. Na revisão da jogada, o TO foi confirmado e Dansby se enfureceu pela injustiça do jogo ter parado antes de seu retorno.

O ataque dos Jaguars não conseguiu correr com a bola. Leonard Fournette teve muitas dificuldades, o que forçou Blake Bortles a chamar a responsabilidade. O QB ia bem, julgando seu limitado arsenal e até correu para dois touchdowns.

O último quarto foi espetacular. Valeu a pena acompanhar por essa sequência de lances:

1 – A defesa dos Jaguars finalmente apareceu com um fumble forçado por Ngakoue em cima de Gabbert. Calais Campbell recupera, retorna para TD e coloca Jacksonville na frente do placar.

2 – No drive seguinte, Gabbert acerta um passe de 52 jardas para Brown correr até a endzone. Fitzgerald ainda confirma a tentativa de 2 pts.

3- Na volta, há um grande retorno de Kick Off para os vistantes, que posicionam bem Bortles em campo. O QB carrega a equipe até a endzone (literalmente – corrida de 17 jardas).

4- Uma interceptação pra cada lado e a partida empatada. Gabbert posiciona Phil Dawson para o maior chute da sua carreira, 57 jardas. Com um sete segundos restando, o kicker acerta o field goal da vitória.

Marco Tulio Bayma

Green Bay Packers 28 vs. 31 Pittsburgh Steelers

Confira o resumo do jogo aqui.
.
.
.
Domingo com 12 jogos agitando a NFL e você escuta a análise de TODOS eles no melhor programa brasileiro sobre futebol americano, o Podcast FA Hoje! Escolha um link abaixo e dê play!

Como escutar o Podcast em celular Android | Como escutar o Podcast em iPhone 

iTunes (iPhone, iPad, iPod)

Stitcher (Android e outros sistemas operacionais)

Novidade: Deezer

Soundcloud

4shared

Comments

comments