Read Option ainda funciona? HC do 49ers explica com verdadeira aula sobre tática, confira!

Em 2012 o Washington Redskins encantou a NFL com um estilo de jogo chamado ‘Read Option’. Comandado pelo rookie Robert Griffin III, as defesas adversárias sofriam para parar o quarterback, que nesse tipo de jogada possuía a opção de correr com a bola ou fazer o handoff para o RB Alfred Morris. Essa tática se espalhou pela Liga com outros QBs como Russell Wilson, Colin Kaepernick e Cam Newton, mas essa ‘explosão’ parece ter diminuído bastante. Será que é por que os coordenadores defensivos descobriram como pará-la? Essa foi a pergunta feita a Kyle Shanahan, head coach do San Francisco 49ers e que foi o coordenador ofensivo de RGIII lá atrás em 2012. A resposta foi uma verdadeira aula sobre tática, confira o vídeo (transcrição em português depois do tweet):

‘Não tem como descobrir como pará-lo (o read option), é um esquema muito bom e direto. O que importa é como você vai usá-lo, o que fará a partir dele, se a defesa vai se focar 100% em pará-lo, o que é possível mas abre o resto do campo, aí então você precisa aproveitar esses novos espaços para assustar o adversário. O seu quarterback é bom o suficiente correndo com a bola para obrigar a defesa a se comprometer a parar (o read option)? E se for, ele tem a capacidade de fazer os passes para conseguir aproveitar os espaços que foram abertos? Se ele tiver essa capacidade, é um grande problema para as defesas adversárias.

É muito difícil encontrar esse cara e se você não o protege da forma certa é difícil mantê-lo saudável. As pessoas falam do ano de 2012, mas o nosso jogo terrestre era 70% outside zone (basicamente indo pelas extremidades da linha ofensiva), só um terço era de Read Option, mas todo mundo morria de medo dessas jogadas e se preparavam para elas em todos os snaps. É por isso que o Alfred Morris liderou a NFL em jardas terrestres naquele ano. Foi por causa da ameaça do Read Option, que nos permitiu fazer um monte de outras coisas.

Não é o seu o ataque base, mas se você está em pistol ou shotgun é possível utilizá-la em qualquer hora. As defesas estão acostumadas a jogar 11 contra 10 por muito tempo e de repente precisam se preocupar também com o quarterback, isso muda tudo. Não é que as defesas entenderam como parar, é que você precisa das pessoas certas, o comprometimento certo e permanecer saudável, além de você ter um pacote de jogadas para fazer a partir dela’, explicou.

Quando o Washington Redskins obteve um grande sucesso com o Read Option, logo copiado por outros times, a grande conversa entre quem acompanhava a NFL na época era de que esse seria o futuro da Liga: quarterback móveis, capazes de correr com a bola e passar com a mesma qualidade. Só que é como Kyle Shanahan falou, é muito difícil encontrar um QB com essa capacidade. O próprio RGIII se mostrou com o tempo não ser, com umas alfinetadas claras de Shanahan quando falou sobre permanecer saudável e ter comprometimento. Quem tem um Russell Wilson ou Cam Newton, ótimo, incorpore esse tipo de jogada, mas esses caras são raríssimos.

.
.
.
Muitas notícias saindo dos Minicamps das equipe e analisamos tudo que rolou de mais importante no Podcast FA Hoje! Gabriel Martins e Victor Rodrigues falaram do retorno de Andrew Luck, novidades em Baltimore com Lamar Jackson e muito mais. Na segunda parte do programa os dois responderam as perguntas enviadas pelos ouvintes. Escute agora!

Como escutar o Podcast em celular Android | Como escutar o Podcast em iPhone

iTunes (iPhone, iPad, iPod)

Stitcher (Android e outros sistemas operacionais)

Novidade: Deezer

Soundcloud

4shared

Comments

comments