FA Hoje conversa com Jen Welter, primeira mulher a ser treinadora na NFL

Publicada originalmente em 20/10/2015

Tudo é impossível até que alguém consiga fazer. A quebra de recordes é uma obsessão no esporte, mas certas marcas que são alcançadas fora de campo são mais importantes que qualquer touchdown. E disso pouca gente entende mais que Jen Welter. Após ser a primeira jogadora de futebol americano em uma liga profissional nos Estados Unidos, ela conseguiu um feito histórico que para sempre será lembrado nos livros de história: se tornou a primeira treinadora da história da NFL.

Entre julho e agosto Jen Welter participou do programa de estágio com o Arizona Cardinals e foi a treinadora dos inside linebackers da equipe. O período pode até parecer curto, mas sua importância extrapola o campo, sendo mais uma conquista importante na luta pela igualdade de gênero. O FA Hoje conversou com exclusividade com Welter, que revelou detalhes de como foi o processo para conseguir a vaga, a receptividade dos jogadores e a satisfação de ter feito parte desse momento histórico. Confira!

FA Hoje: Como foi que você conseguiu essa oportunidade com o Arizona Cardinals?

Jen Welter: Tudo começou quando o Bruce Arians foi perguntado em uma entrevista se ele achava se era possível um dia existir uma treinadora na NFL. A resposta dele foi “Claro, por que não?”. Eu estava trabalhando como treinadora no Arena Football, no Texas Revolution, e eu conversei com o meu head coach, Devin Wyman, sobre isso e ele basicamente disse “Nós deveríamos ligar para o Bruce”. Deixamos uma mensagem para o Bruce, que eventualmente ligou de volta e conversou sobre mim por bastante tempo com o Devin e perguntou se ele achava que eu faria o estágio e Devin disse que com certeza. Eu não sabia como proceder a partir daquele momento. Algumas semanas depois outro grande amigo meu, Dave Diaz, ligou para mim porque estava em Dallas e queria saber como eu estava e como estava o meu trabalho como treinadora. Quando disse que estava gostando, ele disse “Você devia considerar fazer o estágio com a NFL, acho que o Bruce ia te adorar”. O Dave jogou na NFL e tinha feito o estágio com o Bruce Arians na última temporada. Foi aí então que eu falei o que tinha acontecido e ele disse que ia ligar para o Bruce para dizer o quão incrível eu era (risos). Aí então o Bruce me convidou para os OTAs, nós conversamos e nos demos muito bem. Ele me disse que já estava decidido no coração dele que queria me dar o estágio, só que não sabia se seria possível, mas que tentaria. Algumas semanas depois eu recebi a confirmação que faria o estágio com o Arizona Cardinals

FA Hoje: Como foi ser treinadora na NFL?

Jen Welter: Foi uma experiência incrível. Sou muito grata a todo mundo nos Cardinals, todos os treinadores e jogadores foram muito receptivos e me receberam muito bem. Eles estavam cientes de que esse momento era histórico e estavam muito orgulhosos de fazer parte disso. O que foi muito legal, e algo que a maioria das pessoas não esperavam, é que eles escutavam tudo que eu falava e ficavam animado com isso, sabe? Um dos jogadores me disse que me ter lá foi como uma brisa de ar fresco. Do início ao fim foi uma honra e, como eu gosto de dizer, nós pegamos algo que a maioria achava impossível e fizemos muito bem.

FA Hoje: Como você sente tendo uma história de romper tantas barreiras no futebol americano e saber que você é uma inspiração para tanta gente?

Jen Welter: Eu me sinto extremamente abençoada. Acho que Deus me deu um propósito enorme na minha vida e me sinto honrada por poder servi-lo da melhor forma que posso. sou muito grata que isso tenha sido em algo que eu amo tanto e saber que o que fiz na minha vida deu chances a outros de sonhar um pouco maior é a melhor coisa que eu poderia imaginar nesse mundo.

FA Hoje: Como foi trabalhar com Bruce Arians, um dos melhores treinadores da NFL?

Jen Welter: Eu absolutamente o amo e se ele me falasse para tentar atravessar uma parede de tijolos, eu tentaria e conseguiria. É esse nível de confiança que você tem que ter para jogar futebol americano no nível mais alto. Você tem que saber que o seu treinador vai te colocar na melhor posição para ter sucesso e acredito que esse é o motivo para que Bruce seja tão bem sucedido, porque todo mundo ao redor dele acredita que o que ele diz é o melhor para o time. Ele é muito não-tradicional. Só porque alguém diz que algo é certo não quer dizer que o Bruce acha que é certo. Ele usa a intuição dele, o estilo dele, ele acha talento nas pessoas que talvez outros ainda não tenham visto. James Bettcher é um exemplo, nosso coordenador defensivo. Ele é jovem e Bruce viu nele uma estrela que estava crescendo e por isso o contratou. Existe algo nele, ele não tem medo, é agressivo, conhece o esporte e acredita 100% em deixar as pessoas brilharem. Eu amo esse cara, eu o respeito e adoraria trabalhar com ele de novo.

FA Hoje: O Arizona Cardinals começou muito bem a temporada e como alguém que fez parte da preparação deles, o que você acha que é o segredo do sucesso da equipe até agora?

Jen Welter: Preparação, compromisso com a excelência, não aceitar nada menos que o melhor e colocar as pessoas nas melhores posições para terem sucesso. Eles acreditam em usar o talento das pessoas que eles tem no campo e desenhar jogadas para colocar essas pessoas nas melhores posições para ter sucesso. Bruce sempre faz as coisas do jeito certo e sempre está preparado. Todos os treinos dele são relevantes para os jogos e para continuar esse compromisso com a excelência.

FA Hoje: Qual será o seu próximo passo? Você agora vai trabalhar como comentarista na TV, mas você ainda quer ser treinadora?

Jen Welter: Claro que eu quero. Eu sinto saudade de ser treinadora todos os dias. Sinto saudade dos jogadores, dos treinadores. Nós estamos sempre conversando. Eu vou trabalhar como comentarista porque me mantém perto do esporte e sou boa nisso, é futebol americano né. A parte desafiadora saindo do estágio foi que os times já selecionaram os seus staffs para a temporada e eu meio que fiz isso ao contrário. Eu saí de uma temporada do Arena Football e então fui para a NFL, enquanto a maioria dos treinadores com quem eu estava estagiando iriam depois de volta para os seus trabalhos como técnicos em times universitários ou de colégios, então eles já tinham algo certo para depois. Eu me sinto abençoada por poder trabalhar como comentarista, eles viram talento em mim para me dar essa oportunidade, mas definitivamente ainda tenho no meu coração o desejo de voltar a ser treinadora no futebol americano.

FA Hoje: Para terminar, queria que você deixasse um recado para as mulheres, do Brasil e do mundo inteiro, que amam o futebol americano.

Jen Welter: Existe um lugar para as mulheres no futebol americano e é aceitável e até mesmo muito legal que uma mulher ame futebol americano, sonhe com futebol americano e esteja tão envolvida no esporte quanto possível. Eu amo quando mães ficam entusiasmada com os seus filhos jogando futebol americano. Eu amo quando meninas me dizem que quando crescerem querem jogar futebol americano. É um esporte lindo, a diversidade, o trabalho em equipe, o comprometimento. Estou muito feliz por ter tido essa oportunidade de mostrar para as mulheres que existe um lugar para gente no futebol americano e eu realmente acredito que você deve seguir seu amor, sua paixão e mantê-la na sua vida

Comments

comments