Estreia brasileira em 2015 e hegemonia americana, a história da Copa do Mundo da Bola Oval

Ao 12h de 14 de junho, russos e sauditas darão início a 21ª edição da Copa do Mundo de futebol da bola redonda, um dos maiores eventos do mundo. Realidade bastante diferentes do seu esporte irmão da bola oval, organizado desde 1999 pela IFAF (Federação Internacional de Futebol Americano).

A Copa do Mundo de Futebol Americano ainda é pequena e está longe de despertar a atenção do público nos Estados Unidos. Tanto é assim, que o país só disputou os jogos nas últimas três edições, e com apenas jogadores do Futebol Americano Universitário, de divisões menores ou atletas que não passaram nem perto de receberem uma oportunidade na NFL. Mesmo assim venceu com sobras o torneio em 2011 e 2015.

As duas primeiras edições, sediadas na Itália e na Alemanha, terminaram com vitórias do Japão. Em 2007, quando os nipônicos receberam o torneio, tiveram pela frente finalmente a seleção estadunidense, mas deu trabalho ao rival. A final foi a mais equilibrada até hoje, terminando com vitória de 23 a 20.

Já nas últimas duas edições, a vitória dos Estados Unidos veio com sobras. Na Áustria, em 2011, a vitória veio em uma vitória larga de 50 a 7 contra o Canadá. Em 2015, sediando o torneio no próprio país, o placar foi um impressionante 59 a 12.

A edição de 2015 foi inclusive sediada em Canton e contou com a participação da Seleção Brasileira. Após um confronto com o campeão da América Central, o Panamá, vencido por 26 a 14, a seleção confirmou a vaga em sua primeira Copa do Mundo.

A expectativa para a Copa do Mundo era muito grande e a participação dos Onças foi muito boa para um estreante. Em três partidas disputadas, o Brasil sofreu derrotas para a França (31×6) e Austrália (16×8) e uma vitória por 28×0 contra a Coréia do Sul.

Ainda não é possível saber muitas informações sobre a próxima edição, além de que será disputada em 2019. A sede ainda não foi confirmada pela IFAF.

Para ler mais sobre o assunto:

Ex-treinador da seleção brasileira conversa com o FA Hoje sobre o esporte no Brasil e muito mais!

Comments

comments