Diretora de Entretenimento dos Dolphins conversa com o FA Hoje sobre vinda ao Brasil

Publicada originalmente em 15/02/2016
Não existem mais dúvidas de que a NFL está de olho mesmo no Brasil. São postagens em português na página oficial da liga, boatos de realização do Pro Bowl no país e agora os times também estão querendo se aproveitar da paixão verde e amarela pelo esporte. O Miami Dolphins é um desses.

Em março a franquia vai realizar testes no Rio de Janeiro para recrutar uma brasileira para o seu grupo de cheerleaders, as icônicas dançarinas dos esportes americanos. O FA Hoje conversou com Dorie Grogan, diretora de entretenimento e impacto da marca dos Dolphins. Ela falou sobre a vinda ao Brasil e explicou o que uma líder de torcida representa, confira!

FA Hoje: Ser uma cheerleader é muito mais do que dançar nas laterais durante os jogos. Você poderia explicar quais são os trabalhos de uma líder de torcida?

Dorie Grogan: As cheerleaders do Miami Dolphins são a face regional, nacional e global da organização. Essa equipe etnicamente diversa representa todas as mulheres – profissional, educada e trabalhadora. Elas tem alcance grande com os fãs e são abençoadas com a habilidade de serem modelos positivos e inspirarem meninas através de discursos em público, boa forma física e etiqueta. As cheerleaders se apresentam nas laterais em todos os jogos em casa e também fazem aparições e performances na comunidade e em eventos de caridade. Elas tem a oportunidade de viajar, trabalhar como modelos de biquíni e também de desfilar no show de moda anual.

FA Hoje: Por que o Miami Dolphins escolheu o Brasil para procurar uma cheerleader?

Dorie Grogan: Isso não é só uma oportunidade de promover o futebol americano no Brasil, mas também uma chance de expandir o alcance da Cheerleader Americana, que é uma parte icônica da NFL e sempre foram grandes embaixadoras da marca.

FA Hoje: Podemos esperar que o Miami Dolphins vá trabalhar mais perto com o Brasil daqui para frente?

Dorie Grogan: Nós estamos ansiosos para visitar o Brasil com mais frequência.

Comments

comments