Começo do fim nos Patriots? Reportagem da ‘ESPN’ retrata tensão entre Brady e Belichick

Nesta quinta-feira começou um barulho no Twitter sobre uma reportagem da ‘ESPN’ que prometia sacudir o New England Patriots, focando nos problemas de relacionamento envolvendo Tom Brady, Bill Belichick e Robert Kraft. A bomba foi publicada na manhã desta sexta-feira e relata principalmente Brady e Belichick batendo cabeça no que diz respeito ao treinador pessoal do QB e parceiro comercial, Alex Guerrero, e a situação de Jimmy Garoppolo. Se você entende textos em inglês, recomendo muito que leia a matéria na íntegra clicando aqui. Resolvi resumi-la em tópicos, focando nos pontos mais bombásticos. Vale lembrar que tudo aqui é segundo Seth Wickersham, repórter da ESPN Americana. 

Antes de começar, no entanto, é preciso entender quem é Alex Guerrero. Ele era treinador particular de um jogador do New England Patriots em 2004, ano em que conheceu Tom Brady. Os dois começaram a trabalhar juntos e se tornaram muito próximos (Guerrero é padrinho de um dos filhos do QB). Juntos eles desenvolveram um método de treinamento alternativo, o ‘TB12’, que Brady diz ser a razão da sua longevidade. O ‘TB12’ virou clínicas e um livro que dá instruções para quem quer seguir esse estilo de vida.

 

Polêmica envolvendo Alex Guerrero, treinador e parceiro comercial de Brady

Foi noticiado mês passado que Alex Guerrero teve seu acesso às laterais e às instalações do New England Patriots, privilégio que possuía desde 2013. Bill Belichick começou a se incomodar com essa dinânica, com Guerrero muitas vezes contestando os médicos da franquia e com muitos jogadores se sentindo pressionados a procurá-lo para agradar Tom Brady.

Em um e-mail, Belichick explicou a Guerrero sobre as novas limitações mas ressaltou que ele poderia continuar tratando livremente os jogadores que o procurassem, desde que o fizesse na sua clínica. O ‘guru’ de Brady não ficou muito satisfeito e teria dado entender aos atletas que o head coach estava o proibindo de trabalhar com eles, tática que muitos dentro dos Patriots viram como a de criar tensão entre o elenco e BB.

Bill Belichick conversou com Tom Brady em setembro sobre essa situação e explicou que muitos jogadores, principalmente os mais jovens, sentiam-se pressionados a se tratar na clínica TB12. Brady, no entanto, disse não saber disso e o assunto acabou não sendo resolvido, culminando na decisão de Belichick.

 

Relacionamento entre Brady e Belichick começa a se deteriorar

Tom Brady nunca se importou com as críticas feitas por Bill Belichick. Durante as reuniões do time para analisar as imagens do jogo anterior, o treinador sempre foi muito duro com o quarterback. Isso não era coincidência e sim uma das fundações da cultura estabelecida dentro dos Patriots. Se até o camisa 12 era criticado, ninguém poderia reclamar. Esse ano, no entanto, Brady se tornou mais sensível a elas, o que começou após a vitória contra os Texans nos playoffs da temporada passada quando o treinador foi especialmente duro com Tom, que se sentiu injustiçado.

Outro fator que vinha incomodando Tom Brady é a negatividade de Bill Belichick, uma pessoa negativa por natureza. Brady acredita muito no poder do pensamento positivo. Tom acredita que já fez o suficiente para não ser criticado pelo treinador e reclamou também do fato de não ter sido eleito o melhor jogador dos Patriots na semana nenhuma vez por Belichick.

 

Jimmy Garoppolo

Mais que Guerrero, mais que eventuais rusgas entre dois homens que trabalham juntos há quase 20 anos, a matéria dá a entender que a raiz de todos os problemas era Jimmy Garoppolo. Tom Brady não via como sua responsabilidade ser um mentor dos seus jovens QBs, principalmente com Jimmy. Belichick não queria trocar Garoppolo e chegou a oferecer um contrato que pagaria entre 17 e 18 milhões de dólares, com incentivos caso ele se tornasse titular. O fato dos dois quarterbacks terem o mesmo agente complicou ainda mais uma renovação que já seria difícil de sair e eles não chegaram a um acordo.

Perto do fim da janela de trocas Bill Belichick e Robert Kraft, dono da franquia, tiveram uma reunião para discutir a situação dos quarterbacks. O que era para ser um encontro rápido acabou se arrastando por metade do dia e terminou com o treinador recebendo a ordem de trocar Jimmy Garoppolo. Belichick ligou para Kyle Shanahan, head coach do 49ers, e o ofereceu por uma escolha de segunda rodada. O treinador dos Patriots é um grande admirador da família Shanahan e acreditava que era a melhor situação para Jimmy. Na matéria é dito que Brady e Kraft tiveram várias reuniões para discutir o desejo do QB de estender sua carreira, mas não diz diretamente que Tom pediu para o seu reserva ser trocado.

Bill Belichick deu a impressão a pessoas próximas a ele que essa dinâmica é insustentável. O treinador sempre abominou intervenções dos donos na administração do time e elenco. De qualquer jeito, jogadores notaram Tom Brady mais calmo e alegre depois que Jimmy Garoppolo foi trocado, com o seu reserva agora sendo Brian Hoyer, de quem Tom é amigo e não representa nenhuma ameaça. Internamente Kraft já começou a questionar se a decisão de trocar Jimmy foi errada e Belichick mostra muito orgulho pelo bom desempenho do 49ers com Garoppolo.

Um adendo à situação de Jimmy Garoppolo. Na matéria existe uma história, que é contestada por Alex Guerrero e a TB12, mas o repórter confia que aconteceu. No ano da suspensão de Brady, Jimmy se tornou o titular e acabou sofrendo uma lesão no ombro. Ele foi procurar a clínica de Guerrero para se tratar e quando chegou lá encontrou as portas trancadas. Por duas semanas Garoppolo tentou se tratar lá e não conseguiu, foi só atendido após a intervenção de um executivo dos Patriots. A empresa nega ter se recusado a atender o QB.

 

O futuro do New England Patriots

Depois que a troca aconteceu, Robert Kraft encontrou Tom Brady em um treino na mesma semana e deu um grande abraço no quarterback. O gesto, na visão de pessoas dentro da organização, era claro de que o quarterback “ganhou” a batalha pelo poder em New England. As três figuras mais importantes da franquia iriam se reunir em dezembro para tentar “fazer as pazes”, mas esse encontro acabou adiado e só deve ocorrer após os playoffs.

Bill Belichick queria que o seu legado fosse deixar o New England Patriots competitivo e vencedor mesmo com a sua saída. Isso inclui, obviamente, um quarterback talentoso. Depois de tudo isso Belichick viu que não tem como controlar o que acontecerá quando sair. A comissão técnica dos Patriots deve passar por grandes mudanças nessa offseason, já que Josh McDaniels e Matt Patricia são candidatos a se tornar head coaches em outros times. Além dos dois, vários assistentes devem seguir McDaniels e Patricia, deixando o veterano HC com a responsabilidade de reconfigurar o seu staff.  Bill estaria inclusive os ajudando se prepararem para as entrevistas, algo que ele não fazia no passado.

Há quem acredite que Belichick pode deixar os Patriots após essa temporada, mas não é provável. Tom Brady vai continuar tentando esticar sua carreira ao máximo, o que vai acontecer em New England agora que a sombra de Garoppolo não está mais lá. Mesmo sendo o favorito ao MVP, Brady mostrou sinais de ser um QB de 40 anos, tendo que lidar com uma lesão no ombro e no tendão de aquiles, um lembrete que o camisa 12 é humano.

 

Conclusão

Essa é a minha conclusão lendo a matéria, você pode e deve tirar as suas próprias. Eu, Gabriel Martins, acredito em geral no que está escrito, apesar de achar que algumas partes possam ter sido exageradas. Por tudo que conhecemos de Tom Brady, é de se acreditar que o seu espírito competitivo o tenha feito ver Garoppolo como uma ameaça e é bem fácil de acreditar que Bill Belichick tivesse problema com o trabalho de Alex Guerrero, o que é justo.

Só não vejo a situação como irreversível. Depois de tudo que Brady e Belichick passaram juntos, não é impossível e sequer improvável que os dois possam sentar na offseason, conversar e se entenderem. Isso tudo mostra, no entanto, as primeiras rachaduras na maior dinastia da história dos esportes americanos, o que era de se esperar após 18 anos de tanta excelência. Normalmente isso acontece muito mais cedo.
.
.
.
AJUDE O FA HOJE!

Manter um site como um FA Hoje não é barato e todo começo de anos temos que pagar os custos do portal. Assim como a maioria dos times do FABR temos dificuldades para encontrar patrocínio, por isso pedimos ajuda ao nosso público. Qualquer contribuição que você possa fazer nos ajudará! Clique aqui para acessar nossa vaquinha online!

Comments

comments