Abrindo o Playbook – Para qual time vou torcer em 2017?

Eu torço pelo Flamengo (estou escrevendo isso antes da final da Copa do Brasil, apesar que isso não vai mudar não importa o resultado), amo mais o time do que o futebol em si. NFL é diferente. Eu amo mais o futebol americano como um todo do que o New York Giants em si. Não preciso provar isso a ninguém e também não escondo, afinal se você não entende que isso não tem NENHUM impacto nas minhas análises, bem, procure tratamento.

Tenho uma simpatia enorme pelo Cleveland Browns, tanto que fui convidado para participar de um podcast (do Fumble Na Net) como torcedor da equipe. É o meu time 1B na NFL, com os Giants sendo 1A.

Por que estou falando tudo isso? Simples, porque os dois não vão a lugar nenhum em 2017. Eu já sabia disso, apesar de ter esperanças de estar errado com os Giants. “Tá, mas e daí Gabriel?” E daí que eu preciso de um time para torcer esse ano, afinal futebol americano é muito mais divertido assim.

Processo Seletivo 

Não vou torcer para nenhum dos favoritos, nisso eliminei Patriots, Steelers, Raiders, Chiefs, Packers e Seahawks. Não teria graça nenhuma. Nenhum time da NFC Leste, obviamente. Quero uma equipe nova, empolgante, com jogadores jovens e que sinto que possa surpreender. Mas também não quero dos palpites populares para esse ano, como Tennessee Titans ou Tampa Bay Buccaneers . Acabei com quatro candidatos:

Os Candidatos 

Detroit Lions

Prós:

  • Um dos meus quarterbacks favoritos na NFL (Matthew Stafford)
  • Divertido de assistir, muitos jogos definidos no último quarto
  • Mesma cidade do time que torço na NBA (Detroit Pistons)
  • Franquia com menos sucesso em sua história, seria mais especial se vencessem

Contras:

  • Head coach muito ruim (Jim Caldwell)
  • Elenco sem muita profundidade, uma lesão em um jogador importante pode acabar com a temporada
  • Divisão difícil (pode ser um pró, já que rende mais jogos interessantes)
  • Não dá para confiar nos playoffs

Jacksonville Jaguars

Prós:

  • Defesa mais legal de se ver jogar na temporada até agora
  • Tom Coughlin
  • Leonard Fournette correspondendo e até superando as expectativas

Contras: 

  • Blake Bortles. Precisa dizer mais alguma coisa?
  • Por causa do QB, o time não tem qualquer capacidade de virar um jogo, se sair atrás no placar a partida acabou.
  • Não tem um grande mando de campo, torcida passiva

Los Angeles Rams

Prós: 

  • Sean McVay, novo head coach da equipe, é só cinco anos mais velho que eu e vem mostrando muito talento
  • Tenho um carinho especial pelo Jared Goff depois de fazer o ‘Scout Report’ da primeira temporada dele. Enquanto todo mundo o enterrava, vi um jovem QB com comissão técnica e time ao redor completamente ineptos. O seu começo de 2017 é muito positivo
  • Todd Gurley é um dos jogadores mais legais de se ver jogar na NFL
  • Aaron Donald, que ainda não está no seu melhor mas é um dos cinco melhores jogadores da Liga
  • Wade Philips, que assim como Donald ainda não tirou o melhor da defesa mas é um dos maiores coordenadores defensivos da histórias

Contras: 

  • Por melhor que Jared Goff venha jogando, é um QB rookie e ainda não é confiável, principalmente em jogos mais pesados
  • Los Angeles não abraçou o time e o estádio fica com assentos vazios.
  • Transição do 4-3 para o 3-4 na defesa pode não estar pronta esse ano
  • Tavon Austin

Minnesota Vikings

Prós:

  • Defesa espetacular, potencial para ser a melhor da NFL
  • Ataque que superou todas as expectativas e está jogando muito melhor que no ano passado
  • Melhor dupla de Wide Receivers da temporada até agora (Stefon Diggs e Adam Thielen)
  • Dalvin Cook candidato ao prêmio de melhor calouro de ataque
  • Sam Bradford subestimado, teve um grande 2016.

Contas: 

  • Ataque pode ser uma miragem, principalmente se Sam Bradford for perder muito tempo
  • Time que sedia o Super Bowl nunca consegue jogá-lo
  • Caso a lesão de Bradford for mais séria do que o esperado, ter que aguentar Case Keenum por muito tempo será complicado

Veredito 

Jacksonville foi o primeiro eliminado, por mais que goste da defesa não dá para confiar em Blake Bortles. Depois foi o Los Angeles Rams, o ano deles será 2018. Goff ainda tem muito a crescer e a transição na defesa é muito grande para jogar o seu melhor já em 2017. Os finalistas foram Minnesota e Detroit, olha, foi difícil.

Acabei escolhendo o Detroit Lions. Sinceramente, o Minnesota Vikings tem mais chances de ir longe nos playoffs, mas os Lions serão o meu time em 2017. O fator Detroit pesou mais do que eu esperava e Matthew Stafford vem tendo um ano especial, melhor que 2016. Então vamos lá #MotorCity!

 

Filme: Paterson (2016)

 

Eu sei, eu sei, pulei a recomendação em duas colunas seguidas. Nesse último mês quebrei minha sequência de só ver filmes bons no cinema (Atomic Blonde é muito ruim) e até os últimos dois livros que li não gostei muito, e como não queria voltar muito no passado para fazer as recomendações resolvi pular essa parte.

Dessa vez volto com um filme que assisti no começo do ano, que chegou a fazer algum barulho na época das premiações, chegou a ser indicado em algumas menores mas não chegou nos grandes troféus. Enfim, Paterson é estrelado por Adam Driver, sim o Kylo Ren de Star Wars The Force Awakens. Ele interpreta um motorista de ônibus que também é poeta, que mora na pequena cidade de Paterson, e a história é basicamente uma semana da vida dele. Não vou dar spoilers.

“Paterson” é bem introspectivo e reflexivo, certamente não vai agradar todo mundo. Normalmente sequer o indico para as pessoas, mas resolvi arriscar nessa semana. Adam Driver é um dos meus atores favoritos e é a melhor atuação da carreira dele. Vale a pena se você gostar de filmes diferentes.

 

Comments

comments