Abrindo o Playbook – OTAs não valem (quase) nada & Top 10 Filmes de Super Heróis

Olá!

Você deve estar ouvindo a sigla OTA bastante nesses últimos dias né? Se você não conhece, se trata de um período de treinamentos realizado pelas franquias que não é obrigatório aos jogadores e não pode ter contato físico. Não veremos shoulder pads e tackles, no máximo capacete e mesmo assim é só para a visão, não para proteger. Sabe que tipo de conclusões podemos tirar dessa época? Pouquíssimas. Se você ver algum artigo analisando “quem está indo bem” e coisas do tipo, nem perca seu tempo abrindo. A única coisa importante são os jogadores lesionados. Caras como Derek Carr, Marcus Mariota e Rob Gronkowski, que terminaram o ano passado na Injury Reserve, já apareceram em campo e isso são boas notícias. De resto, ignore.

Sendo assim, não temos muita informação relevante. Não se preocupe pelo fato do Odell Beckham e o Aaron Donald não terem se reapresentado, como falei é um período voluntário. Eles aparecerão em breve e serão os jogadores fantásticos que sempre foram. Então hoje vou me estender um pouco sobre um outro assunto, cinema. Mais especificamente filmes de Super-Herói. Fiz uma lista com os meus 10 favoritos e como sempre quero que vocês deixem suas opiniões nos comentários.

 

 

10 – Vingadores
A primeira etapa do MCU culminou em Vingadores. Pela primeira vez vimos todos os Super-Heróis juntos e o resultado foi ótimo. Quando se tenta administrar tantos personagens importantes ao mesmo tempo fica difícil fazer justiça a todos, mas vemos o crescimento do grupo como um todo, que entende que precisa deixar egos e diferenças de lado para o bem maior. O seu objetivo é entreter e consegue exatamente isso.

(ATUALIZAÇÃO) 9 – Mulher Maravilha

Assisti à Mulher Maravilha nesta quinta-feira e pude constatar que enfim a DC conseguiu uma vitória no seu universo cinematográfico. Patty Jenkins fez um trabalho fantástico construindo Diana Prince, uma deusa com poderes quase ilimitados mas que tem emoções humanas, sente medo, desespero e amor. Um grande filme, divertido, que lida com questões importantes e com algumas das melhores cenas de ação que assisti recentemente.

8 – Logan
Hugh Jackman se despediu (será?) com a sua sétima e melhor performance como Wolverine. Vale lembrar que a Marvel não possui os direitos cinematográficos de X-Men, ficando sob o comando da Fox, que tem acertos e erros com a franquia. Logan não existiria sem que Deadpool provasse que existe uma audiência para um filme de Super-Herói censurado para menores de 18 anos. Novamente, sem raios vindo do céu e ameaça de destruição da Terra, vemos uma história íntima, três pessoas fugindo na estrada, com Logan lidando com sua recém descoberta mortalidade, ciente de que sua longa vida está chegando ao fim. Grandes filmes são assim, os que lidam com sentimentos.

7 – Guardiões da Galáxia
Entre 2014 e 2016 a Marvel viveu o mesmo que Lionel Messi entre 2009 e 2012. Ambos só brilhavam e pareciam imunes a erros. Entre Capitão América Soldado Inverno e Doutor Estranho a gigante não lançou nenhum filme que não fosse pelo menos muito bom e Guardiões da Galáxia foi um grande exemplo disso. Ninguém conhecia essa história em quadrinhos, mas a empresa encontrou um diretor talentoso (James Gunn) que realmente se importa com o material, além de ter escolhido o ator perfeito para liderar o grupo (Chris Pratt). Guardiões é o filme mais divertido da Marvel e o que melhor funciona sozinho, já que você não precisa ter conhecimento nenhum do MCU para curti-lo.

6 – Vingadores: Era of Ultron
Eu gosto mais do segundo Vingadores do que a maioria das pessoas, mas confesso que ele não trouxe muita evolução em relação aos seus antecessores. Em Era de Ultron vemos a apresentação de personagens importantes (Vision e Scarlet Witch) e vemos sementes sendo plantadas para vários outros filmes, então não foi um trabalho simples. É perfeito? Não, mas é muito divertido.

5 – Deadpool
Deadpool é um marco importante para os filmes de Super-Herói, mostrando que há um público adulto enorme para o gênero, tendo a segunda maior bilheteria da história para uma produção com a censura indicada para maiores de 18 anos. Ryan Reynolds tem uma atuação fantástica, superando o fiasco de Lanterna Verde e da primeira aparição do Mercenário (em X-Men Origins), que lhe rendeu uma indicação como melhor ator em musical ou comédia no Globo de Ouro.

4 – Homem de Ferro
O pontapé inicial do MCU mostrou que a Marvel sabia o que estava fazendo desde o início, que não era suficiente cenas de ação grandiosas e efeitos especiais impecáveis. São os personagens que fazem esses filmes terem sucesso e no primeiro Homem de Ferro vemos Tony Stark ter um arco de desenvolvimento, começando como um milionário egoísta e imaturo, que evolui graças à culpa do que o seu trabalho causou ao mundo e muda totalmente, se tornando um herói.

3 – Capitão America: Soldado Invernal
É muito difícil fazer um filme ligado à realidade quando os personagens principais são super-heróis, por isso Soldado Invernal é talvez o maior êxito da Marvel. Lidar com o debate sobre sacrificar sua liberdade e privacidade com a desculpa da segurança é uma questão atual e bem abordada. Foi a melhor atuação de Chris Evans como Steve Rogers, além de ter apresentados os irmãos Russo à franquia, que depois viriam a dirigir Guerra Civil e os próximos dois Vingadores.

2 – Capitão América: Guerra Civil
O Universo Cinematográfico da Marvel precisa ser dividido em dois na hora de classificarmos, acho difícil comparar Vingadores com filmes solo. Cinematograficamente é mais fácil fazer um filme mais sofisticado girando em torno apenas de um personagem, os exemplos são muitos. Quando juntamos todos super-heróis o teto é limitado, porque é impossível desenvolver uma grande história, estabelecer motivações reais que nós do outro lado da tela realmente consigamos nos importar. Guerra-Civil é a exceção.

A Marvel teve sete filmes para desenvolver Tony Stark, Steve Rogers e a relação entre eles. Nós vimos os dois lutarem juntos, vimos os dois se desentenderem, vimos a amizade sendo estabelecida. Por isso quando houve o rompimento é mais significativo. O Capitão América não medirá esforços para proteger seu melhor amigo e única conexão com a sua vida “real”, antes de ser congelado. Stark não consegue carregar o peso da culpa por toda destruição colateral à ação dos Vingadores e não vai poupar esforços para tentar consertar tudo, acreditando que a supervisão da ONU é justa. Tudo faz a ação desse filme ser mais significativo, porque nos importamos com quem está debaixo do uniforme.

1 – Batman: O Cavaleiro das Trevas
Antes do Universo Cinematográfico da Marvel ser lançado a obra prima do sub-gênero filme de Super-Herói já havia sido feita. Aliás, Batman The Dark Knight provou que era possível extrapolar esse nicho, se tornando um dos melhores da história do cinema. Tudo nesse filme é perfeito, as atuações, o roteiro, a direção, nunca será superado.

Outro dia me peguei pensando no porquê desse filme ser tão bom. A atuação histórica de Heath Ledger como o Coringa certamente é um grande fator, mas para mim o principal é o roteiro. Quantas vezes vemos a Terra sendo ameaçada em filmes de Super-Herói e quantas vezes ela de fato explodiu? Zero. Na nossa mente já sabemos que o vilão não vencerá em situações como essa, por isso não existe nada em jogo. Em ‘Dark Night’ os riscos são reais. O Coringa mata a Rachel, não seria surpreendente se ele explodisse as duas barcas, Duas Caras poderia ter matado o filho do Comissário Gordon. Não é um raio vindo do céu que sabemos que é impossível.

 

Assista aos filmes que citei acima. Já viu? Veja de novo, porque vale a pena!

 

Tentei convencer o Marquette King, depois não reclamem de mim!

 

Comments

comments