Abrindo o Playbook – Livros físicos x digitais, suspensão de Elliott e muito mais!

Eu moro no Rio de Janeiro e estou escrevendo logo após voltar da Bienal do Livro. Já acredito nisso há algum tempo e essa minha ida ao evento me fez voltar a refletir sobre o fato de que ler é melhor em todos os aspectos se ela se dá em um ambiente 100% digital. Todos os contrapontos já ouvi e nenhum rebate que ler um livro físico é pior do que consumir sua versão digital.

A palavra consumir é importante. Se a leitura fosse para todo mundo apenas absorver o que está escrito, viver a história, livros físicos não existiriam mais. O consumo é parte importante que motiva alguém a comprar um livro, a capa bonita, o status intelectual de se identificar como leitor. Pagar 40 reais na sua versão física traz uma satisfação maior do que pagar 20 ou 30 reais na versão digital.

Cheguei a considerar a compra de um Kindle,e-reader mais tradicional, mas depois que comecei a ler no meu iPad desisti. É muito mais confortável que um livro físico, não existe o desgaste da vista que eu pensava que iria ocorrer. Iluminação também foi algo que nunca mais preocupei, já que com o tablet não dependo de fontes de luz para ler. Tudo bem, sei que não é todo mundo que tem um iPad ou outro similar que dê para ler, muita gente simplesmente não tem condições financeiras para fazer essa escolha que eu fiz. O que estou querendo dizer é que, para quem pode, a opção de ler livros digitais é a melhor.

Comprar livro pela internet então, nem se fala. Isso vale para os livros físicos também, adquirir uma obra online é mil vezes mais fácil do que ir numa livraria. Lojas físicas são limitadas pelo espaço físico e tirando os maiores bestsellers (que hoje em dia quer dizer: livro escrito por YouTuber), é muito difícil encontrar o que você está procurando. E se você vai comprar pela web, o que é melhor: esperar uma semana para chegar a cópia de papel na sua casa ou baixá-lo imediatamente e começar a ler?

O último argumento que sobra é o de “gosto do cheiro de livro” ou “preciso sentir o papel”. Por favor né. Não é um ponto objetivo. Assim como ninguém da mesma idade que eu ou mais novo compra jornal impresso, não vai demorar muito para as pessoas ultrapassarem o sentimentalismo e e perceberem que ler em um Kindle ou Tablet é a melhor forma.

 

 Houston Rockets vendido por 2,2 bilhões de dólares 

Em 2010 o Golden State Warriors foi vendido por 450 milhões de dólares. Essa semana o Houston Rockets foi adquirido por 2,2 bilhões. As franquias da NBA e NFL passaram por uma valorização inacreditável nesse período. Hoje o Warriors vale facilmente 3 bilhões. Em 2014 os Pagulas compraram os Bills por 1,1 bilhão. Quem comprou uma equipe até a década de 2000 viu seu investimento dando MUITO certo.

É difícil ver qualquer uma das franquias mais tradicionais da NFL ser vendida, então nunca saberemos por quanto um Dallas Cowboys ou New England Patriots sairiam. Essas duas ligas estão movendo MUITO dinheiro, pense nisso na próxima vez que achar que o jogador do seu time é um mercenário por querer um salário maior.

 Suspensão de Ezekiel Elliott mantida, ainda bem

Eu tinha certeza que a suspensão do Ezekiel Elliott seria reduzida, ainda bem que estou errado. Infelizmente, no entanto, parece que estamos diante de um mini Deflategate e essa história vai se arrastar.

 Cachorro invadindo o campo foi a melhor parte do jogo da seleção brasileira contra a Colômbia 

Cachorro em campo é uma instituição do futebol sul-americano e precisa ser preservada. Não vou ficar cuspindo vocabulário da geração decreto/Manual do Jogador Ruim, mas que foi divertido foi.

 

Livro: Guerra Civil

Uma recomendação curiosa, mas já explico. Fim de semana passada estava lendo teorias mirabolantes sobre o próximo Vingadores, o Infinity War, então resolvi comprar os quadrinhos (a versão digital, no meu iPad) que vão basear esse filme. Eu não cresci lendo HQs, então não tenho qualquer ligação afetiva com esse formato, li pouquíssimos na minha vida. E achei PÉSSIMO. Os filmes do MCU nunca seguiram e cada vez mais se distanciam das páginas dos quadrinhos, AINDA BEM.

Enfim, o formato não me agrada muito. Foi aí que me chamou a atenção esse livro, uma adaptação da série de quadrinhos da Guerra Civil, que é considerada uma das melhores da história, muito melhor que a ‘Infinity Gauntlet’ que li. E nesse formato, de livro de verdade, foi uma leitura muito divertida e fez jus a história, que tem substância e não é apenas todos os super heróis lutando um contra os outros.

Se você é que nem eu, que gosta dos filmes da Marvel mas não liga para quadrinhos e mesmo assim quer se aprofundar na história, esse livro é uma ótima opção.

 

 

Comments

comments